13/07/2015

Stay With You - Capítulo 2

- Grimmjow.



Abarai Kankura P.O.V.

Virei o rosto – tentando agir de maneira natural – e vi apenas três dos cinco caras daquele grupo. O que havia colocado a mão no meu ombro sorriu.
- É mais bonita do que achei que fosse ser. – Os outros concordaram – Qual o seu nome, ruivinha?
- Não é do seu interesse, agora me dê licença.
Virei-me e continuei andando. Não ouvi mais passos deles atrás de mim, mas mesmo assim eu ainda estava nervosa. Era algum tipo de truque? Se fosse ou não, teria que despistá-los antes de chegar à minha casa, pois se eles souberem onde moro as coisas vão piorar muito.
Vi sombras aparecerem no chão à minha frente e notei que ali havia um pequeno beco de onde saíram os outros dois. Virei-me para contorná-los e vi que os outros três estavam atrás de mim. Eles me botaram contra a parede e fizeram um semicírculo na minha volta. Estava cercada e não tinha como escapar dali.
- E é brava. Mulheres bravas são sempre melhores. – Ouvi gargalhadas e franzi o cenho.
- Hoje é seu dia de sorte mocinha. – Um loiro disse rindo – Seu e nosso.
- Será que podem sair da frente? – Me irritei.
- Calma, nós nem começamos! Por que não abre um pouco a camisa ou levanta a saia? Nós todos iríamos adorar. – O que parecia ser o líder falou.
- O problema é de vocês se vocês iriam ou não adorar, eu quero que saiam da minha frente agora. – Ameacei.
- Senão? – Ele deu um passo à frente – Segurem a ruivinha, hora da diversão.
Um deles tentou me segurar pelo ombro e eu dei um chute entre as suas pernas. Logo em seguida torci o pulso de outro que tentou me segurar e bati com a pasta no rosto de mais um – quem me visse diria que sou boa de briga, mas na verdade isso é só sorte.
- Essa garota é forte e é boa, não vamos conseguir nada. – O que havia levado chute resmungou.
- Vocês é que são tudo um bando de fracotes, vejam e aprendam.
O “líder” deles veio até mim e mesmo tentando me esquivar de todas as maneiras e acertá-lo ele conseguiu me puxar pelo pulso até ele. Estava com um sorriso sádico no rosto e eu vi que esse era o momento em que eu não tinha mais salvação alguma, era só esperar acabar.
Ou não.
Uma mão puxou o ombro dele por trás e quando ele se virou alguém lhe acertou um soco em cheio no nariz. Depois que o cara de cabelo preto – o líder – saiu da frente com a mão no rosto que eu pude ver quem era. Era Grimmjow.
Senti um aperto no peito e um medo maior ainda. Ele era considerado um valentão, será que não iria se aproveitar da minha situação? Fiquei congelada olhando para ele enquanto ele me olhava e olhava para os outros. Ele estendeu sua mão para mim e depois de alguns instantes de hesitação eu a segurei. Fui puxada na sua direção e ele me pôs atrás de si.
- Qual é o problema de vocês? Por que não tentam fazer nada com alguém dos seus respectivos tamanhos? – Grimmjow ralhou.
- Mas vejam se não é o Grimmjow. – O líder deles se recompôs ainda com o rosto ensanguentado – Pelo jeito ele está contra nós... Vamos dar uma surra nele e depois levamos a garota daqui.
Os outros concordaram e vieram para cima de Grimmjow. Dei um passo para trás enquanto Grimmjow apenas seguiu e derrubou um por um tão facilmente que me pergunto se era ele que era muito forte ou os outros que eram muito fracos. Peguei minha pasta caída ao lado de um meio gordo e vi que enquanto Grimmjow se defendia dos socos do último dos “subordinados” o líder do grupo vinha por trás e ia tentar fazer alguma coisa. Corri até ele e bati com a pasta na sua cabeça com toda a força que eu tinha. Ele quase gritou de dor e se virou.
- Você vai ver sua pirralha de merda!
Logo ele foi agarrado pela gola do casaco e foi jogado contra a parede. Grimmjow colocou o antebraço na frente do seu pescoço e segurou um dos braços do cara contra a parede.
- Se eu sonhar que qualquer um de vocês pensou em encostar um dedo nela eu vou caçar um por um e eu vou espancar vocês até que não possam mais revidar, fui claro?
- F-foi.  – Ele estava quase sem ar – Nos desculpe, nós não vamos fazer mais nada, eu prometo pela minha vida.
- Espero que esteja falando a verdade, porque se eu me decepcionar vai ser pior.
Grimmjow tirou o braço da frente dele e o puxou pela gola o empurrando e fazendo com que ele caísse quase no meio da rua. Os outros caras o ajudaram a se levantar e eles correram para o outro lado, dobrando na primeira esquina que viram. Levei a mão até o peito e respirei fundo.
- Kankura? – Dirigi o olhar até Grimmjow e vi que ele andava na minha direção – Você está bem?
- Eu... Estou, acho que estou. – Estava começando a gaguejar de nervosismo.
- Eles conseguiram fazer alguma coisa com você? – Ele arrumou o meu casaco que estava um pouco amassado na manga.
- Não, não conseguiram.
- Cheguei a tempo então. – Ele suspirou – Pessoas normais não teriam a coragem que você teve de bater em alguns deles. – Sorri de canto.
- O que não se faz na hora do susto... Muito obrigada Grimmjow.
- Não há de quê. Vou acompanhar você até em casa só por garantia tudo bem? – Concordei e começamos a caminhar.
- Você os conhece? Ele falou o seu nome e que... – Ele me interrompeu.
- Que estava contra eles agora? Eu fazia parte do grupo deles quando era menor, mas deixei de fazer quando descobri que eles se drogavam e estupravam qualquer garota que achassem bonita. Não simpatizo com esse tipo de pessoa.
- Foi muita sorte você aparecer por aqui... – Puxei o casaco e cruzei os braços na frente do corpo. A adrenalina estava voltando ao normal e eu estava sentindo frio novamente.
- Não é sorte na verdade. Eu moro para essa direção algumas casas depois de você, mas eu sempre saio da escola um pouco depois e venho a alguns bons passos atrás. Você só não me vê porque nunca olha para trás.
- Sério? – Olhei para ele – Eu realmente nunca tinha reparado... Por que nunca me disse?
- Achei que você não fosse gostar até mesmo porque acho que você não gosta de mim. – Ele deu de ombros.
- Quem disse que eu não gosto de você? – Foi a vez de ele olhar para mim.
- Ninguém, eu que deduzi isso sozinho. Você é uma pessoa decente e eu, aos olhos de todo mundo, com toda certeza não sou.
- Deduziu errado, não tenho nada contra você e acho você uma pessoa bacana, mas eu não posso dizer mais porque não te conheço.
- Entendo. – Ele bocejou – Me desculpe então, e a partir de agora, só se você quiser é claro, eu vou começar a acompanhar você para não acontecer mais nada do tipo, essa área é perigosa demais para você andar por aí sozinha.
- Fala como se eu fosse diferente de qualquer outra mulher.
- Não posso comparar uma mulher bonita com uma garota qualquer – senti as bochechas corarem -, não acha?
- Não quero responder isso. – Ele riu e eu vi que havia chegado em casa – Fico por aqui.
- Certo... Ainda não me respondeu se aceita companhia.
- Aceito sim. – Sorri – E obrigada mais uma vez. Não estaria aqui se não fosse por sua causa.
- Não precisa agradecer. E a propósito – ele estendeu a mão até o meu cabelo e tirou a pequena tira de madeira trabalhada que eu usava para fazer coque. Senti meu cabelo cair pelos meus ombros e costas e ele me entregou a tira – você fica muito melhor assim.
Fiquei tão vermelha quanto meu cabelo.
- As pessoas implicam com o meu cabelo quando está solto, se eu usar ele preso ninguém fala muita coisa.
- As pessoas também implicam com o meu por ele ser azul mas eu não me importo e você não deveria se importar também. Se alguém falar mal dele pode me chamar para ver se essa pessoa ainda vai achar isso. – Ri.
- Vou fingir que não ouvi essa última parte, até amanhã.
- Até.
Ele deu um sorriso de canto e seguiu andando. Respirei fundo e peguei minha chave na mochila para abrir a porta. Mais a frente o vi parando em frente a uma casa alaranjada e eu abri a porta e entrei antes que ele me visse parada ali o observando. Fechei a porta sentindo o coração bater rapidamente e corri para o meu quarto. Isso só podia ser um sonho.

Grimmjow Jaegerjaquez P.O.V.

Olhei para o lado e vi Kankura entrando rapidamente na sua casa. Acho que as coisas estavam dando certo exatamente como Aizen disse que aconteceria.
Abri a porta da casa e entrei, jogando a mochila no sofá e respectivamente o meu próprio corpo. Bufei irritado com o fato de ter que ser eu o selecionado para seduzir essa mulher, ganhar sua confiança e levá-la para o Hueco Mundo. Não era mais fácil simplesmente levá-la agora, enquanto estava sozinha na sua casa? Não, Aizen tem que fazer joguinhos antes.
Ser parecido com um humano é uma tarefa nada fácil. Preciso ser agradável e gentil com ela, o que é de fato muito difícil para mim. Seria mais fácil se Aizen não resolvesse que deveria mandar Halibel para ser amiga dela e tentar convencê-la a ficar perto de mim, porque mal cheguei nisso que chamam de escola e já me chamam de valentão.
Peguei o maldito dispositivo que Szayel me deu para me comunicar com o pessoal em Las Noches e o liguei, esperando ser atendido. Depois de cinco minutos e de quase ter desistido umas dez vezes, fui atendido por Aizen.
- Grimmjow. - Aizen sorriu, surpreso - O que o faz me ligar?
- Fiz o primeiro contato com a mulher hoje. Defendi ela de umas crianças que estavam tentando estuprá-la e tentei passar confiança. Não sei se deu certo, mas ela estava se derretendo toda só de me ver por perto.
- Ah sim, como esperado. - Ele pareceu satisfeito - Garotas boas como ela gostam muito de homens fortes e que parecem valentões. - Essa palavra idiota novamente - Bom trabalho, Grimmjow. Está superando todas as nossas expectativas.
- A gente faz o que pode. - Bufei - Tem alguma outra coisa que eu possa fazer enquanto estou tentando me aproximar dela?
- Seja parecido com ela. Já sabe a história dessa menina, certo? Diga que seus pais abandonaram você aqui e que você recebe dinheiro da sua tia para viver, e apareça machucado também, ela pode se compadecer. Isso vai fazer com que ela se aproxime mais. Chame-a para sair também, para ir na sua casa... Qualquer coisa. Mas não seja muito rápido, humanos tendem a se assustar com esse tipo de coisa.
- Então não posso chamar ela para transar? - Fiz careta.
- Ainda não, ela ficará com medo de você. Mas não se preocupe, você saberá a hora em que deverá fazer isso. Agora vá descansar, imagino que essa escola deva ser como a escola de Shinigamis e por esse motivo entendo que seja cansativa. Boa sorte, Grimmjow.
- Que seja.
Desliguei aquele troço e joguei por cima do sofá. Fui em direção ao quarto tirando de roupa quando me lembrei que tinha que tomar banho antes de dormir por causa dos esportes de hoje. Suspirei e terminei de me despir, ligando o chuveiro e logo me atirando em baixo da água. Pensei naquela mulher e em como ela era bonita. Nunca havia visto um ser tão belo, seja Arankar, Shinigami ou humano. Talvez isso tornasse mais fácil a minha tarefa.

-----


Não sei se a fanfic está parecendo muito interessante, mas logo ela ficará boa e eu espero que vocês estejam gostando. Espero comentários hein! Mil beijinhos e até mais <3

ue

08/07/2015

Algumas imagens/fanarts de Bleach que são simplesmente maravilhosas


Olá meus goxtozos! Eu sei que faz um tempão que eu não publico, mas isso se chama falta de criatividade... Complicado né? Enfim, estou aqui hoje trazendo algumas imagens e fanarts de Bleach que eu simplesmente amo de paixão! Claro que eu não fiz elas e tem algumas que eu peguei do DeviantArt, outras no Tumblr e outras que eu peguei de um blog de Bleach muito bom, chamado Bankai Pearls. Nem todas tem os créditos nas imagens, mas de qualquer maneira saibam que elas devem ser de lá. Aqui vão elas! (Nem todas estão com a mesma dimensão e podem ser muito grandes, se quiser ver elas no tamanho original basta clicar, e se quiser baixar, sinta-se a vontade! Só não esqueça de dar os devidos créditos, ok?)

1.

2.


3.


4.


5.


6.


7.


8.


9.


10.


11.


 Por enquanto é isso meus lindos, espero que gostem. Mil beijinhos e até mais!